Mino Pedrosa

Rodrigo Rollemberg. Contagem regressiva

3 jul 2017

A queda de braço divide o Ministério Público do Distrito Federal.
De um lado o governador Rodrigo Rollemberg comanda, com uma vara de condão, ferindo de morte seus adversários políticos. Do outro, os que preservam a instituição, sem intenções políticas. O pequeno grupo reage com a denúncia de improbidade administrativa, atingindo Rollemberg e a secretária de Planejamento, Leany Lemos.
São inúmeras irregularidades praticadas pelo chefe do Executivo e seus secretariados.
No início do governo, Rollemberg alegava ter herdado, do governo petista de Agnelo Queiroz, uma herança maldita que alcançava um rombo com cifras de bilhão.
Alertado pelo MPDFT, Rollemberg tinha que cumprir metas para atender a de Lei de Responsabilidade Fiscal.
O Ministério Público denunciou Rollemberg e a secretária na ação de improbidade administrativa
Na ação, o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) acusa o chefe do Executivo de nomear servidores comissionados no Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-DF) em vez de convocar aprovados em concurso público. A secretária de Planejamento, Leany Lemos, também é alvo da denúncia.
O MPDFT pede a suspensão dos direitos políticos dos dois por cinco anos, cobra multa de R$ 1,8 milhão (Rollemberg) e R$ 1,4 milhão (Leany), além do ressarcimento do dinheiro gasto com o pagamento dos servidores indevidamente nomeados.
De acordo com o Ministério Público, em maio de 2016, o Procon contava com 54 comissionados e apenas cinco servidores. “Chama a atenção a quantidade de assessores técnicos (comissionados), cargo que deveria ser preenchido por candidatos aprovados para o cargo de Técnico de Atividades de Defesa do Consumidor”, destaca o promotor Guilherme Fernandes Neto, que assina a ação.
Rollemberg tenta se equilibrar diante de tantas denúncias do MPFDFT que estão por vir, acumuladas desde o início de seu governo.
O grupo seleto de promotores acreditam que, até o fim do mandato de Rollemberg, outras denúncias mais grave podem levar a queda do governador que tenta se equilibrar desde o início de sua gestão.
Com o índice de popularidade em queda, alcançando uma rejeição de mais de 80%, Rodrigo Rollemberg, com sua varinha de condão, tenta eliminar seus adversários políticos para novamente receber o governo do DF com vitória por WO.

Publicidade

Anuncie Aqui