Retirada de assinaturas para a CPI na Câmara Legislativa não é “recuo”, mas, cumprimento de ordem

28 mar 2018

Por Mino Pedrosa

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), destinada a investigar a manutenção e conservação dos bens públicos do Distrito Federal, quase instaurada na Câmara Legislativa vem causando um verdadeiro estrago na base de parlamentares do governo.

O toma lá dá cá foi explícito. A autoridade parlamentar deputado Chico Vigilante (PT-DF), Ricardo Vale (PT-DF), Juarezão (PSB-DF), Bispo Renato (PR-PR) e Robério Negreiros (PSDB) foram “convencidos” pelo governador, Rodrigo Rollemberg(PSB-DF), com tapas na mesa e tom de senhor, a retirarem as assinaturas, impedindo a instalação da CPI.

Os documentos enviados aos parlamentares de oposição comprovam ações criminosas de desvios de recursos destinados a manutenção dos patrimônios públicos e aplicados sabe-se lá aonde. O deputado distrital Robério Negreiros ultrapassou os limites da prepotência e do regimento da casa.

Entrou em contato com a gráfica que imprime o Diário Oficial e sem consultar o presidente da Câmara, Joe Valle (PDT-DF), impediu com requerimento a publicação do Ofício que instaurava a CPI. Os funcionários vão questionar na justiça a arrogância do parlamentar e a ilegalidade do ato que se enquadra na quebra do decoro parlamentar.

O recuo dos parlamentares provocou indignação de seus pares que avaliam a possibilidade de apoiar a abertura da CPI que tanto o governador evita com troca de favores, contratos de empresa familiar com o GDF e cargos em administrações regionais foram negociados como moeda de troca.

A denúncia publicada no site Quidnovi.com.br ganhou repercussão em toda a mídia local. A TV Record detalha na reportagem do seu principal jornal a importância que a CPI tinha para todos os parlamentares inclusive para os que recuaram. O argumento de que a abertura da CPI em ano eleitoral não é válido, quando se trata de interesse público e preservação de vidas.

A investigação será devastadora e poderá trazer a tona, a comprovação de uma gestão temerosa e irresponsável do governador Rodrigo Rollemberg. O curioso é que ainda tem parlamentar da Câmara Distrital que além de fazer vistas grossas para o mal feito, agem com conivência impedindo uma investigação profunda e eficaz para ser entregue à população. O preço pode ser alto no resultado das urnas agora em 2018.

Abaixo a repercussão da retirada das assinaturas da CPI destinada a investigar a manutenção e conservação dos bens públicos do Distrito Federal pela TV Record.

Publicidade

Anuncie Aqui