Mino Pedrosa

Operação Sacerdote: Galeb Baufaker o despachante de P.O

26 set 2017

O depoimento em seis folhas do ex-diretor da Terracap Gustavo Adolfo Moreira Marques, preso na última sexta-feira (22), na Operação Sacerdote, esclarece os pontos obscuros não investigados pela polícia.

O ex-diretor conhecido como Gustavo Cabeça Branca, disse em depoimento que não tem participação no esquema criminoso de venda de lotes em área pública.

As declarações bombásticas de Gustavo acertou em cheio o megaempresário da construção civil, Paulo Octávio Alves Pereira, apelidado de Paulo merenda.

O ex-diretor narra o fato que se encontrava ainda na Terracap, quando foi procurado por um conhecido grileiro de terra, Galeb Baufaker, que trabalhava para Paulo Octávio como despachante e cuidava dos interesse do empresário junto a Terracap.

Não é a primeira vez que Baufaker é flagrado ao sair da sombra. O irmão do ex-presidente Lula, conhecido por sr. Vavá, também se envolveu em escândalo de propina com a Federação Brasileira dos Hospitais, por intermédio de Baufaker.

Galebe pediu para Gustavo Cabeça Branca acompanhar um processo relacionado a terras de interesse de Paulo Octávio.

Gustavo, então, atendeu o pleito e fez um levantamento da situação da área irregular localizada no setor de mansões Dom Bosco. Os lotes que ocupavam 5,3 hectares estão dentro de uma área de preservação permanente, com nascentes nas proximidades.
Nas gravações autorizadas pela justiça, Galeb Baufaker demonstra forte intimidade com Paulo Octávio e trata da área ilegal como se fosse particular, chegando até efetuar vendas e recebendo valores em negociações ilícitas.

Paulo Octávio é proprietário de cerca de 700 unidades de imóveis espalhadas por todo Distrito Federal.

O depoimento esclarecedor de Gustavo Cabeça Branca joga luz nos tubarões que mergulham nas profundezas do crime de grilagem de terras.

A delegada-chefe da Dema, Marilisa Gomes, tem em mãos várias horas de escutas telefônicas autorizadas pela Justiça e já tem em mira o megaempresário Paulo Octávio, preso e denunciado pelo Ministério Público Federal no crime de corrupção de agentes públicos para a concessão de alvarás.

O grileiro Galeb Baufaker ainda está foragido e coincidentemente o megaempresário Paulo Octávio esta viajando e não foi localizado no dia da operação.

As gravações, além de revelar crimes contra o patrimônio público, tem também segredos sexuais de alcovas.

 

Confira as sete pessoas presas na operação:

Randel Machado de Faria
Sérgio Rafael Alejara dos Santos
Olivan de Sousa Queiroz Junior
Alberto Ferreira da Silva de Castro
Galeb Baufaker Junior
Haroldo Cardoso dos Santos
Gustavo Adolfo Moreira Marques

Publicidade

Anuncie Aqui