Mino Pedrosa

Chateaubriand: corte na comunicação

2 ago 2017

O túmulo do empresário de comunicação Assis Chateaubriand tremeu na manhã desta quarta-feira (2).

Os associados foram surpreendidos com o corte nos telefones por falta de pagamento acumulados a mais de ano, do principal veículo o Correio Brasiliense. O império de comunicação deixado por Chato vem sendo consumido em demandas judiciais. A falência dos associados está refletida no ponto vital na comunicação.

Os jornalistas que ainda resistem à demissão por amor a profissão mesmo com salários atrasados e falta de condições de trabalho, sofrem com a dificuldade de se comunicar com a redação do jornal e site, que estão com os telefones cortados.

A crise financeira caminha para o fechamento dos jornais impressos, ficando apenas os veículos de internet.

A situação do Correio Brasiliense, tradicional em Brasília, está na UTI esperando o governo e autarquias praticarem a eutanásia cortando também as milionárias faturas que mantém ainda vivo o principal jornal da capital.

A propina que faz Chatô, remexer no túmulo

Publicidade

Anuncie Aqui